Você é uma pessoa compreensiva?

Vale a pena fazer uma reflexão acerca de como estamos vivendo esse aspecto da nossa vida

 

Nesta sexta-feira, 17 de setembro, é comemorado o Dia da Compreensão Mundial. A data surgiu com o objetivo de conscientizar as pessoas acerca de uma das principais características que a humanidade deve ter para que os conflitos possam ser reduzidos em diferentes partes do mundo. Sabemos que esses conflitos, muitas vezes, acontecem por falta de compreensão e de diálogo entre as partes envolvidas. E você costuma ser uma pessoa compreensiva?

 

Os conflitos que uma pessoa enfrenta no dia a dia têm como base a mesma premissa, ou seja, a ausência de um esforço compreensivo e até mesmo empático em relação ao outro e ao que ele vive. Por isso, vale a pena fazer uma reflexão acerca de como estamos vivendo esse aspecto da nossa vida, que é também uma via de testemunho e de coerência em relação ao chamado que o Senhor nos fez.

 

Palavras do Papa Francisco

 

Em 2016, o Papa Francisco publicou uma mensagem, que permanece sendo atual, no Twitter sobre o tema. Entretanto, vale destacar que o pontífice não parou de falar sobre o assunto desde então. Isso porque a compreensão é algo que Jesus ensina para todos aqueles que querem ter uma vida nova em Deus. E não é difícil encontrar as palavras “compreensão”, “perdão” e “amor” bem próximas no dia a dia.

Pessoa compreensiva e pecado

 

Papa Francisco também comentou a relação que existe entre compreensão e pecado em uma de suas homilias na Casa Santa Marta. A seguir, confira, o que disse o Santo Padre:

“Neste mundo em que vivemos, com esta cultura do provisório, a realidade do pecado é muito forte, mas Jesus, recordando Moisés, diz-nos: ‘Se há dureza do coração, se há pecado, algo se pode fazer: o perdão, a compreensão, o acompanhamento, a integração, o discernimento destes casos… Mas a verdade não se pode vender nunca! E Jesus é capaz de dizer esta verdade tão grande e, ao mesmo tempo, ser tão compreensivo com os pecadores, com os fracos”

 

O Papa ainda complementou:

“Que Jesus nos ensine a ter, com o coração, uma grande adesão à verdade e também com o coração, uma grande compreensão e acompanhamento a todos os nossos irmãos que estão com dificuldades. E este é um dom, isto ensina-o o Espírito Santo, não estes doutores iluminados, que para nos ensinar, necessitam de reduzir a plenitude de Deus a uma equação casuística. Que o Senhor nos dê esta graça”.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *