Dia do professor: conheça alguns santos que foram professores

Mais do que ensinar matemática e outras matérias, eles ensinaram a seus alunos a partilha, o amor ao próximo, a gratidão, a bondade e até mesmo a fé. Celebrando o mês dedicado ao professor, conheça alguns deles que foram reconhecidos santos pela Igreja Católica porque que testemunharam com a própria vida o Reino de Deus.

São João Paulo II

Um santo da contemporaneidade (1920-2005), João Paulo II, além de sacerdote, cardeal e Papa, também exerceu a função de professor. Talvez tenha herdado de sua mãe o gosto pelo ensino, já que ela também era professora. Ele ministrou aulas de ética na Universidade Jaguelônica e na Universidade Católica de Lublin, ambas na Polônia. João Paulo foi um professor diferente para o seu tempo. Ele costumava reunir seus alunos para fazer caminhadas, subir montanhas, esquiar e para a prática do caiaque. Era amado e respeitado por todos que carinhosamente o chamavam de “tio”, já que não podiam se referir a ele por “padre”. Naquele período, sob o regime de Stalin, os padres eram proibidos de fazer passeios com os jovens – uma tentativa de impedir novas vocações para a Igreja.

Santa Teresa Benedita da Cruz

Alemã de origem judaica, Santa Teresa Benedita da Cruz, ou Edith Stein (1891-1942), era filósofa e teóloga. Ainda na adolescência, deixou de lado o judaísmos e, em meio às tragédias da Primeira Guerra Mundial, tornou-se enfermeira num hospital que tratava doenças infecciosas. Quando teve contato com os escritos de Santa Teresa D’Ávila foi que Edith converteu-se ao catolicismo. Aos 30 anos foi batizada. Ela lecionou como professora em um liceu para moças e no instituto para formação de professoras das Irmãs dominicanas de Santa Madalena. Mais tarde deu aulas na escola Viktoria, em Breslau, e no Instituto de Pedagogia Científica, em Münster – mas teve que deixar o ofício depois da promulgação de leis antissemitas pelo governo nazista, em 1933, mesmo ano em que entrou para o Carmelo e adotou o nome de Teresa Benedita da Cruz. Faleceu em 1942, em vias da Segunda Guerra Mundial, num campo de concentração de Auschwitz.

São Tomás de Aquino

Nascido de uma família nobre italiana, Tomás de Aquino (1225 -1274) entrou para a Ordem dos Dominicanos aos 18 anos, contrariando o desejo de seus pais. Em seus estudos teve como mestre outro grande santo, Alberto Magno. Em Paris, Tomás de Aquino iniciou a carreira de professor. Lá permaneceu por cerca de 7 anos, até voltar à sua terra natal para lecionar teologia na universidade pontifícia de Agnani. O professor Tomás era reconhecido por sua dedicação intensa aos estudos. Facilmente se perdia no tempo quando abria os livros para ler. Essa dedicação rendeu a ele a autoria de diversos livros – muitos deles constituem os maiores monumentos de filosofia e teologia católicas. Conhecido como “doutor angélico”, até hoje seus escritos continuam exercendo grande influência nos seminários católicos. Em 1323 foi canonizado e em 1880 foi declarado doutor da Igreja e padroeiro das Universidades.

São Dom Bosco

Quando se pensa na função do professor, recordamos com admiração de Dom Bosco (1815 – 1888) que deixou um grande legado para a educação de crianças e jovens em diversos países. Sua pedagogia, baseada na alegria e no amor, era a prática do método preventivo ao invés do repressivo. Quando menino, de família pobre e órfão de pai, precisou mendigar para seguir com seus estudos. Aos 20 anos entrou para o seminário e logo que se tornou sacerdote começou a trabalhar com meninos de rua. Dom Bosco os evangelizava e oferecia a eles a oportunidade de aprenderem uma profissão. Em 1846 criou uma organização, chamada “Oratório São Francisco de Sales”, para se dedicar às atividades educativas. Neste lugar os meninos tinham moradia, segurança, diversão, catequese e cursos profissionalizantes. Dom Bosco dizia que uma boa educação é aquela que contempla junto a formação religiosa, porque sem o auxílio da graça de Deus, o jovem não consegue vencer as paixões desordenadas do corpo: o pecado. Muitos educadores do seu tempo queriam saber como Dom Bosco conseguia ganhar para Deus tantos jovens rebeldes. Ele costumava dizer: “Consigo de meus meninos tudo o que desejo, graças ao temor de Deus infundido em seus corações”. Exemplo para os professores da atualidade, este educador conquistava os jovens por sua alegria. Ele costumava dizer que os jovens são como abelhinhas que são facilmente atraídas por uma colher de mel.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *