O auxílio dos Santos Arcanjos na vida do cristão

Há momentos em nossa vida em que nos deparamos com realidades duras e difíceis de enfrentar. São muitas as  situações que nos proporcionam sentimentos de tristeza, desesperança e desânimo e que, às vezes, podem nos fazer sentir como se estivéssemos no fundo de um poço. Em momentos assim, Deus nos chama a vivermos na perspectiva da fé e da esperança, e para nos auxiliar, deu-nos por amigos e guardiães os Santos Arcanjos.

São Miguel, São Gabriel e São Rafael, com certeza, não deixam de amparar a todos que lhes apresentaram seus pedidos.

Confira um pouco da história da devoção e de como o auxílio dos Santos Arcanjos na vida do cristão se torna fonte de graças.

O que são os Anjos?

Os anjos são mensageiros Deus e, em obediência a Ele, cumprem a missão de servi-Lo. Nas sagradas escrituras eles aparecem em diversos momentos e são divididos em hierarquias, conforme a missão para o qual for designado pelo Senhor. São divididos em Serafins, responsáveis pela adoração a Deus (cf. Is 6,2); Querubins, que estão abaixo de Deus e guardam o Seu trono (cf. 2Rs 19,15); Arcanjos, que possuem a missão de proteger e ajudar o povo de Deus e travam intensos combates contra o mal (cf. Jd 1,9); e, por fim, os  Anjos, que têm uma missão junto a vinda de Cristo (cf. Gn 28,12).

Como surgiu a devoção aos Santos Arcanjos?

A origem da devoção aos anjos perpassa o tempo dos judeus e a antiguidade cristã. Entre os judeus, havia uma forte veneração ao “grande príncipe Miguel”, tido como o protetor dos filhos do povo de Israel (cf. Dn 12,1). No cristianismo, a devoção demorou um pouco para tornar-se sólida, isso porque nos primeiros anos da era cristã havia muito paganismo que acabava por confundir as devoções com algumas divindades cultuados por falsas religiões. Foi a partir do século II que surgiram os primeiros testemunhos da devoção aos santos anjos, através de São Justino e Atenágoras. Logo depois, surgiram também as primeiras igrejas e oratórios consagrados a Deus sob a invocação dos arcanjos, atestadas nos relatos de Dídimo Alexandrino (+395).

Na Idade Média, apareceu a tão conhecida prece do “santo anjo do Senhor…”, apareceram  também os primeiros tratados da devoção aos santos anjos e houve um grande impulso da devoção com São Bernardo de Claraval. Atualmente, as orações aos santos anjos fazem parte da vida da Igreja e da vida dos fiéis católicos.

Como os Santos Arcanjos nos auxiliam na vida cristã?

A Bíblia relata a existência de sete Santos Arcanjos (cf. Tb 12,15; Ap 8,2), porém, revela  os nomes de apenas três deles: São Gabriel, São Rafael e São Miguel. É a partir da revelação de seus nomes que também compreendemos como eles nos auxiliam na vivência cristã da nossa fé.

São Gabriel significa “a força de Deus”. Também conhecido como o anjo mensageiro. Aparece nos evangelhos no episódio do anúncio a Zacarias sobre o nascimento de João Batista (cf. Lc 1,11-20), e à Maria (cf. Lc 1,26-38) que daria à luz ao Salvador; São Rafael significa “Deus cura”. É o livro de Tobias quem o descreve por diversas vezes. Apresenta-o no acompanhamento de Tobias em uma viagem que culmina no seu casamento com Sara e na cura do seu pai que estava cego. O terceiro Arcanjo, São Miguel, significa “Quem como Deus” e refere-se a proteção contra os ataques do demônio e dos espíritos malignos. Este tem sido um dos Santos Arcanjos que mais recebe devoções na Igreja.

Sempre que você precisar passar uma mensagem positiva e de fé para alguém, recorra a São Gabriel para que essa pessoa possa acolher essa mensagem da melhor maneira.  Quando estiver diante da realidade de doenças, recorra a São Rafael e peça-lhe intercessão pela cura das enfermidades. E sempre que se perceber diante de combates espirituais, não deixe de elevar sua prece a São Miguel que se colocará em ordem de combate para lhe defender.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *