Retiro da Boa Morte: renovação espiritual por meio da confissão e do desapego material

Falta pouco para 2017 chegar ao fim, e este é um bom momento para rever tudo o que foi feito durante o ano e começar a planejar 2018. O novo ano chega com aquele sentido de recomeço e traz no peito a expectativa da renovação de planos, desejos e metas. Por isso, muitas pessoas escolhem esta época do ano para fazer uma renovação pessoal e material – período propício para organizar a vida e desapegar de tudo aquilo que não serve mais ou que precisa de uma nova destinação.

Já na parte prática da vida – exterior –, a pessoa é convidada a olhar as gavetas, armários, caixas, guarda-roupas e retirar tudo aquilo que não tem mais utilidade. Depois separar o que pode ser doado e o restante jogar no lixo.

“Deus ama quem dá com alegria” (2Cor 9,7).

Essa prática não é somente jogar fora objetos e materiais que não tem mais utilidade mas, sim, fazer uma verdadeira “limpeza” na alma, deixando assim o interior e exterior em ordem para o dia da morte. Esse método é baseado na pedagogia de Dom Bosco que dizia: “Temos de estar preparados, a todo instante, pois não sabemos o momento de nossa morte. E quando morrermos, como as pessoas vão encontrar nossas coisas? Vão achar tudo bagunçado? Encontrarão coisas vergonhosas?”.

A motivação em realizar a prática do Retiro da Boa Morte é que para viver bem é preciso estar preparado para “morrer bem”. A dica é: aproveite este tempo e faça uma arrumação total nas suas coisas, retire tudo o que não lhe serve mais. Organize as gavetas, os armários, a mesa de trabalho e se desfaça, principalmente, daquilo que você guarda para usar “um dia” “, que nunca chega.

Faça um teste, olhe para o objeto – seja ele qual for, e se pergunte: qual foi a última vez que eu usei? Se ficar difícil de responder é hora de passar para a frente. O ‘retiro da boa morte’ é uma prática necessária desenvolver para que a morte, quando bater à porta, não pegue de surpresa, mas com o coração limpo e purificado, para nos encontrarmos com o Senhor.

“No entanto, não sabeis nem mesmo o que será da vossa vida amanhã! De fato, não passais de uma neblina que se vê por um instante e logo desaparece”(Tg 4,14)”.

Aos apegados e desorganizados com a vida o ‘Retiro da boa morte’ ensina o desapego e valoriza a necessidade de constantemente fazer uma revisão de vida. É preciso perceber as coisas que foram permitidas entrar no nosso coração e na alma para, assim, fazer uma faxina e deixar o “ambiente” agradável e habitável; a final, o exterior de uma pessoa reflete seu interior.

Fonte: CNBB

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *