Quais são as 7 alegrias de São José?

Esses são os eventos da vida de José que o levaram a se alegrar imensamente

As “7 Alegrias de São José” são uma devoção que faz o contraponto das “7 Dores de São José”. Aquela reflete sobre os acontecimentos felizes na vida de São José que o levaram a se alegrar.

A tradição vem de uma história popular sobre dois franciscanos que foram surpreendidos por uma tempestade.

História

Dois padres da ordem franciscana navegavam ao longo da costa de Flandres, quando surgiu uma terrível tempestade, que afundou o navio, com seus trezentos passageiros. Os dois padres tiveram presença de espírito suficiente para agarrar-se a um destroço, sobre a qual foram jogados de um lado para outro nas ondas, durante três dias e três noites. Em seu perigo e aflição, todos recorreram a São José, implorando sua ajuda em sua triste condição.

São José teria aparecido a eles e os ajudado a chegar a um porto seguro. Em seguida, o santo aconselhou-os a recitar diariamente o Pai-Nosso e a Ave-Maria sete vezes, em memória das suas sete dores ou sofrimentos, e das suas sete alegrias, e depois desapareceu.

Alegrias

Aqui estão as sete alegrias de São José, baseadas em vários eventos da Bíblia, conforme registradas em um livro devocional do século 19 The Glories of the Catholic Church.

Em primeiro lugar, “eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e lhe disse: José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo” (Mateus 1, 20.)

Em segundo lugar, a boa nova trazida por um anjo aos pastores, de que o Salvador tinha nascido na Cidade de Davi, e “subitamente ao anjo se juntou uma multidão do exército celeste, que louvava a Deus e dizia: Glória a Deus no mais alto dos céus e na terra paz aos homens” (Lucas 2, 10-14).

Terceira alegria: dar-lhe “o nome de Jesus, como lhe tinha chamado o anjo, antes de ser concebido no seio materno” (Lucas 2, 21).

quarta alegria aconteceu quando São José viu que magos vieram do oriente a Jerusalém para adorar o Menino Jesus: “entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se diante dele, o adoraram. Depois, abrindo seus tesouros, ofereceram-lhe como presentes: ouro, incenso e mirra”. (Mateus 2, 1-2, 11).

quinta alegria refere-se ao momento em que “Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua mãe: Eis que este menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel” (Lucas 2, 34).

sexta alegria: na terra do Egito, quando ele viu os ídolos caídos diante do Menino Deus e ouviu do Anjo: “Levanta-te, toma o menino e sua mãe e retorna à terra de Israel, porque morreram os que atentavam contra a vida do menino” (Mateus 2, 20).

E a sétima alegria refere-se ao encontro de Jesus no Templo: “Três dias depois o acharam no templo, sentado no meio dos doutores, ouvindo-os e interrogando-os” (Lucas 2, 46).

Fonte: Aleteia

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *