Julho: mês dedicado à devoção ao precioso Sangue de Jesus

No mês de julho, a piedade cristã nos motiva a refletirmos mais morosamente sobre o preço de nossa salvação, que se deu, por meio do Sangue de Jesus. “Eis por que, ao entrar no mundo, Cristo diz: …Eis que venho (porque é de mim que está escrito no rolo do livro), venho, ó Deus, para fazer a tua vontade” (Heb 10,5.7).

Jesus veio ao mundo para cumprir a vontade do Pai. “Porque é Deus que, em Cristo, reconciliava consigo o mundo, não levando mais em conta os pecados dos homens, e pôs em nossos lábios a mensagem da reconciliação” (2Cor 5,9). O apóstolo Paulo explica: “Por Seu Sangue, Cristo nos reconciliou com Deus: ‘Por seu intermédio, reconciliou consigo todas as criaturas, por intermédio daquele que – ao preço do próprio sangue na cruz –  restabeleceu a paz a tudo quanto existe na terra e nos céus’” (Cl 1,20).

O Sangue de Jesus nos santifica

 

Foi  no cumprimento da vontade de Deus, se entregando, derramando seu Sangue e morrendo na cruz que Jesus evidencia sua vida humana e divina. Por meio da Paixão de Cristo “é que nós fomos santificados, pela oferenda do corpo de Jesus Cristo, feita de uma vez para sempre” (Heb 10, 5-10). “Porque vós sabeis, que não é por bens perecíveis, como a prata e o ouro, que tendes sido resgatados da vossa vã maneira de viver, recebida por tradição de vossos pais, mas pelo precioso sangue de Cristo” (1Pd1, 28).

O Catecismo da Igreja Católica aponta: “A redenção vem-nos, antes de mais, pelo sangue da cruz” (CIC 517). Pelo Sangue de Jesus fomos libertos do pecado, da morte eterna, da escravidão do demônio. “Portanto, muito mais agora, que estamos justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira” (Rm 5,9).

A devoção ao Preciosíssimo Sangue do Senhor

 

São Padre Pio nos convida: “Contemplemos com devoção o sangue de Jesus derramado até a última gota por nós na cruz pela redenção da humanidade”.

Foi o Papa Bento XIV (1740-1748) o precursor a inserir na igreja a devoção ao santíssimo Sangue de Jesus com uma missa e o ofício em honra ao Sangue de Jesus. Mais tarde, o Papa Pio IX (1846-1878) incluiu a celebração no calendário litúrgico da Igreja e assim em todo o mundo, os católicos passaram a venerar o sangue de Jesus.

Gaspar de Búfalo foi um dos santos que mais propagou esta devoção entre os fiéis. Seu amor ao Sangue de Jesus era tão intenso que, ao fundar uma Congregação dedicou-a ao Preciosíssimo Sangue.

A espiritualidade dedicada ao Sangue de Cristo

 

Há diversas maneiras de venerarmos o sangue de Jesus e expressarmos nosso respeito e devoção.

  • Devotamos o sangue de Jesus no sacramento da confissão: Foi o sangue de Jesus que remiu a humanidade do pecado. A todo tempo encontramos esta remissão na confissão. Por meio do sacerdote, é Cristo quem perdoa nossos pecados e lava-nos com seu precioso Sangue, curando as feridas de nossa alma.
  • Tomamos parte do Sangue de Jesus na Comunhão: Também no sacramento da Eucaristia, Corpo e Sangue de Jesus, encontramos nossa libertação. Portanto, quando comungamos renovamos nossa aliança com Deus que, por amor, enviou seu filho para resgatar.
  • Veneramos o Sangue de Jesus por meio de orações: há uma infinidade de orações dedicadas ao Preciosíssimo Sangue, além do Terço do Sangue de Jesus e a Ladainha ao Preciosíssimo Sangue.

Neste mês de julho, como nos convida a Igreja, procure manifestar a Jesus sua gratidão pela salvação que ele nos trouxe por meio de seu Sangue derramado na cruz.

Faça a devoção ao preciosíssimo Sangue de Jesus ainda mais conhecida! Compartilhe nas suas redes sociais.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *