“Em tempos de crise, temos que sonhar”, diz Papa aos jovens na Sicília

O Papa Francisco se encontrou, na tarde deste sábado, 15, com os jovens de Palermo, na Sicília. O encontro aconteceu na Praça Politeama.

Em seu discurso, Francisco lembrou aos jovens a necessidade da acolhida e disse: “Precisamos sujar as nossas mãos. Se vocês não são capazes de sujar as mãos, nunca serão acolhedores às necessidades dos outros.”

O Pontífice afirmou que os talentos devem ser postos à disposição dos outros, do contrário, nos sentiremos tristes e sozinhos.

“Hoje parece que está tudo conectado, mas na realidade nós nos sentimos muito isolados, distantes.

Pensem na solidão que vocês tem dentro do coração: quantas vezes se sentem sozinhos, com aquela tristeza? Isso pode ser um termômetro, um índice da falta de compromisso. Pois sem compromisso não se pode ser construtor do futuro.”, disse o Papa, afirmando que o futuro está nas mãos dos jovens.

“Vocês não podem pegar um telefone e pedir a uma empresa para construir o futuro. Vocês é que devem construí-lo, sendo acolhedores, e servindo aos outros. Precisamos de homens e mulheres verdadeiros. Homens e mulheres que denunciem a exploração, apaixonados pela honestidade interior. Homens e mulheres que fazem o que dizem, e que digam não à falsidade crescente. Não que dêem uma pincelada e sigam adiante. A vida não se faz com pinceladas, mas com compromisso, com luta por um ideal, por um sonho. Ser acolhedor é ser você mesmo, servir aos outros, sujar as mãos.”

Francisco definiu os jovens como “auroras da esperança” e disse que Palermo, a Sicília e toda a Igreja poderá ter esperança a partir dos jovens. Lembrou que a solução está em se acordar todas as manhãs com o coração esperançoso, não acreditando no fatalismo e no pessimismo, mas olhar para a esperança cristã.

“Um jovem não pode ficar acomodado. Tudo pode mudar!”

Ao final, o Papa lembrou que o mundo hoje vive uma época de crise, em guerra, e que há muitos problemas econômicos e jovens sem trabalho, um mundo em que há muitas pessoas desorientadas:

“A palavra crise significa que estão te fazendo dançar na incerteza. Significa que você não pode ficar parado, senão tudo se perde. (…) Em tempos de crise nós temos que sonhar, temos que nos colocar a caminho, temos que ser jovens com a esperança nas mãos.”

Os jovens e os idosos

Francisco reforçou que é importante aos jovens extrair das raízes a força para reagir, e para ter esperança no futuro:

“Sem raízes não se tem uma pertença, não se tem identidade. Quais são os seus valores? Você tem as raízes nos valores do seu povo, da sua família? Ou você está flutuando? Sem bases? As raízes são encontradas na cultura, no diálogo com os outros, mas principalmente conversando com ‘os velhos’. Conversem com as pessoas idosas. Ouçam os mais velhos, briguem com os velhos, pois quando vocês brigam com os velhos, eles dizem ainda mais, eles vão te dar as raízes que você vai usar no futuro. Um poeta nos dizia: o que a árvore floresce vem do que tem embaixo da terra. Procurem as raízes.”

E reforçou a mensagem, falando sobre a paciência que se deve ter com o idoso:

“Se alguém pensar que as pessoas idosas são chatas, que repetem sempre a mesma coisa, eu digo: vão até eles, deixem eles falarem, briguem com eles, e eles darão força a vocês para ir adiante. Peguem deles a força, a pertença. Eu gosto muito de ver vocês na Igreja levando a esperança de Jesus que vai além do pecado. Mas eu não vou dizer que vocês são santos. São todos pecadores como eu, mas levam a esperança que vai além da morte. Nós vivemos a cultura da esperança, a cultura da alegria, a cultura que por causa das raízes pode florescer e dar frutos.”

Por fim, o Santo Padre deu a benção aos jovens de Palermo, e os enviou.

O Encontro do Papa com os jovens de Palermo será exibido pela TV Canção Nova neste domingo, 16, das 13h30 às 14h30 (horário de Brasília).

 

Fonte: Notícias Canção Nova

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *