Como na Copa, na sociedade é preciso ter fidelidade nos objetivos, afirma Bispo

Em época de Copa do Mundo, quando muitos param para acompanhar a competição, o Arcebispo de Uberaba (MG), Dom Paulo Mendes Peixoto, recordou que assim como no Mundial é preciso ter fidelidade nos objetivos na sociedade, sobretudo nas eleições.

Dom Paulo observou como, “para ver o Brasil jogar tudo para, as pessoas torcem, vibram, às vezes ficam decepcionadas, falam mal, mas tudo é festa”. E, nesse contexto, “até os problemas e os políticos do país ficam de lado”.

Entretanto, questiona-se: “o futebol vai mudar o Brasil, alguma coisa nova deverá acontecer?”. “Pelo que vemos tudo não passa de competição, de euforia sem melhorar as condições de vida das pessoas”.

Em relação ao Brasil, o Prelado indicou que “o brasileiro vive incomodado com o estado das coisas no país”. “Existem muitas formas de infidelidade, de práticas imorais na administração pública causando prejuízo para a coletividade, legando um mundo que dificulta a vivência das pessoas”, assinalou.

“Mas – ressaltou – tudo pode ser diferente a partir da retomada de objetivos na construção do Estado Brasileiro”.

Segundo Dom Paulo, “no entender das Palavras de Jesus Cristo, vence quem joga com determinação e com esperança de conseguir vencer”. Nesse sentido, recordou que no “itinerário do Reino de Deus” uma “Boa Nova” é construída “com compromisso de fidelidade voltada para os seus objetivos”.

“É um caminho de libertação onde a alegria da vitória não é superficial e sem consequências positivas para a estabilidade da comunidade”, acrescentou.

No entanto, lembrou que “não é possível conseguir vitória sem sacrifício, seja no jogo de futebol, como também em qualquer outro tipo de enfrentamento”.

Além disso, indicou ser “interessante” que “as grandes conquistas podem vir de ‘fracos’ pequenos e simples”, como mostra Jesus, “Filho de Carpinteiro, da classe pobre, sem influência, mas dotado de postura, de determinação e consciente de sua missão”.

“Isso pode ser importante na vida de um jogador da Copa, porque joga com garra, mas também sabe sofrer numa possível derrota”, assinalou.

Por fim, o Arcebispo expressou que “é possível conquistar a vitória”. Porém, no Brasil, “muita coisa está por ser feita”.

“Podemos construir um país melhor, sem tanta pobreza e menos violência. Mas temos que atuar nos momentos de decisão. Um deles é o voto consciente, com nossas mentes fixadas na esperança. Nem tudo está perdido e muito progresso ainda pode acontecer”, completou.

Fonte: ACI Digital

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *