Cátedra de São Pedro: unir a nossa oração pelo Papa com a de Jesus

O púlpito de São Pedro? Que nome engraçado para festa litúrgica! Muitas vezes ela passa despercebida e muitos católicos não sabem o seu significado.

No dia 22 de fevereiro, a Igreja celebra a Cátedra (púlpito) de São Pedro. A palavra “púlpito”, originalmente, designa a cadeira onde fica o bispo, símbolo de seu ofício de pároco da diocese. O púlpito de onde São Pedro presidia a assembleia dos fiéis (preservado no coro da Basílica de São Pedro em Roma) designa, portanto, a sede do primeiro papa, bispo de Roma. Ele tornou-se assim o símbolo da missão confiada a todos os papas sucessivos.

Uma festa que nos dá a chance de contemplar o mistério da Igreja

“E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus” (Mt 16, 18-19). É nestas palavras de Jesus que repousa a autoridade de Pedro e de seus sucessores. Se o Papa é “o princípio perpétuo e visível e o fundamento da unidade que une os bispos ou a multidão dos fiéis” (Lumen gentium, 23), não é pelos seus possíveis méritos pessoais, mas porque ele foi escolhido por Jesus para ser o servo dos servos de Deus.

Para cumprir esta grande responsabilidade, Jesus prometeu-lhe uma ajuda especial: “Rezei por ti, para que a tua fé não desfaleça” (Lc 22, 32). A festa do púlpito de São Pedro convida-nos a unir a nossa oração à de Jesus para que – hoje o Papa Francisco, outro papa no amanhã – seja sempre a pedra sobre a qual se assenta a nossa fé. Esta festa oferece-nos também a oportunidade de contemplar o mistério da Igreja, tão frágil e tão pecadora na sua humanidade, mas que prometeu nunca sucumbir aos poderes da morte. Quando a tentação nos levar a criticar a Igreja e a julgar as ações e ensinamentos do Papa perante os nossos próprios critérios, peçamos ao Espírito Santo que nos ensine a olhar além das aparências.

Fonte: Aleteia

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *