7 perguntas sobre o batismo católico

Na Igreja Católica, o batismo é um sacramento por meio do qual o batizado inicia sua vida cristã como filho de Deus, discípulo de Cristo. Pelo batismo somos membros da Igreja e seguimos pelo caminho da salvação. No dia do batismo, explica o Catecismo da Igreja Católica, “somos libertos do pecado e regenerados como filhos de Deus: tornamo-nos membros de Cristo e somos incorporados na Igreja e tornados participantes na sua missão” (CIC 1212).

Contudo, quando se fala em batismo surgem algumas dúvidas que são importantes serem esclarecidas. Pensando nisso, listamos 6 perguntas e respostas sobre o batismo católico afim de sanar qualquer dificuldade sobre o assunto. Acompanhe!

1. Por que o nome do sacramento é batismo?

A palavra batismo vem do grego “baptizeis” que significa “mergulhar” ou “imergir”.  O ato de imergir na água “simboliza a sepultura do catecúmeno [aquele que está sendo batizado] na morte de Cristo, de onde sai pela ressurreição com Ele como «nova criatura» (2 Cor 5, 17; Gl 6, 15)” (CIC 1214). O Catecismo ainda explica que o sacramento também é chamado de “banho da regeneração e da renovação no Espírito Santo”, pois significa o nascimento da água e do Espírito, sem o qual “ninguém pode entrar no Reino de Deus” (Jo 3, 5). Com o batismo, o pecado original é sepultado nas águas, por isso, durante o rito do batismo, o padre derrama água na cabeça daquele que está sendo batizado.

2. Por que se recomenda batizar as pessoas quando crianças?

Todos nascemos com a marca do pecado original, por isso temos necessidade de nascer de novo no batismo. Pelo batismo, a criança é liberta do poder das trevas e transferida para o domínio da liberdade dos filhos de Deus (cf. CIC 1250). Quando não é batizada, logo após o nascimento, os pais e a própria Igreja “privariam, a criança da graça inestimável de se tornar filho de Deus” (CIC 1250). Para que isso não aconteça, ou seja, para não privá-las da graça divina, adotou-se a prática de batizar as crianças logo após o nascimento. Essa é uma tradição cristã que surgiu no século II.

3. Se não sou católico, posso batizar meu filho?

Quando batizada, significa que a criança passa a fazer parte daquela comunidade cristã, professando a fé católica. O batismo é o sacramento da fé (cf. CIC 1253), por isso, no ato do batismo, o sacerdote pergunta aos pais e padrinhos: “O que pedis à Igreja de Deus?”, e a resposta deve ser: “a fé!”. Cada religião tem suas particularidades e professa sua fé de diferentes formas. O batismo não é um evento social, mas uma graça de Deus que permite que o batizado pertença a Igreja e siga pela via da salvação. Você pode batizar seu filho na Igreja Católica mesmo sem ser católico, mas você precisaria tomar a decisão de seguir a fé e as tradições da Igreja, ser exemplo cristão para seu filho.

4. Por que os padrinhos devem ser católicos?

Os padrinhos têm a missão de ser testemunho de vida cristã para seu afilhado, por isso é importante que sejam católicos. O Catecismo da Igreja ressalta que, assim como os pais, os padrinhos “devem ser pessoas de fé sólida, capazes e preparados para ajudar o novo batizado no seu caminho de vida cristã” (CIC 1255).

5. Qual a razão de se usar branco no dia do batismo?

As vestes batismais brancas representam a pureza. Simboliza que o batizado revestiu-se de Cristo, ressuscitou com Cristo (cf. CIC 1243).

6. Se sou adulto e ainda não fui batizado, preciso fazer catequese antes de receber o batismo?

O adulto que ainda não foi batizado passa antes por uma preparação, chamado catecumenato, para depois receber o sacramento. Procure sua paróquia e se informe a respeito. O Código de Direito Canônico da Igreja Católica aponta: “Para que o adulto possa ser batizado, requer-se que tenha manifestado a vontade de receber o batismo, que esteja suficientemente instruído sobre as verdades da fé e as obrigações cristãs e que tenha sido provado, por meio de catecumenato, na vida cristã; seja também admoestado para que se arrependa de seus pecados” (Cânon 865).

7. O batismo é a porta da salvação?

Foi o próprio Jesus quem determinou que é necessário o batismo para a nossa salvação: “Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus” (Jo 3,5). Além disso, expõe o Catecismo, “a Igreja não conhece outro meio senão o batismo para garantir a entrada na bem-aventurança eterna”. Por isso, pai e mãe, cuide para que seu filho seja batizado o quanto antes possível. Mas isso não basta! Seja para ele exemplo de fé e devoção no dia a dia. Escolha padrinhos que, no cotidiano de suas vidas, pratiquem a fé católica.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *