5 condições para cultivar uma amizade saudável

Quem nunca ouviu ou leu que quem encontrou um amigo encontrou um tesouro? E isso não se trata de uma frase qualquer, é uma revelação bíblica: “Amigo fiel é proteção poderosa, e quem o encontrar, terá encontrado um tesouro. Amigo fiel não tem preço, e o seu valor é incalculável” (Eclo 6,14-15). E ainda falando sobre a amizade, o autor bíblico faz uma promessa: “Amigo fiel é remédio que cura, e os que temem ao Senhor o encontrarão” (Eclo 6, 14-15).

O próprio Cristo quis e precisou de amigos durante Sua vida terrena. Dentre muitos discípulos e seguidores, Jesus escolheu aqueles com quem estreitaria laços e seguiria com Sua missão redentora. Ele escolheu 12 apóstolos – amigos que se ajudavam mutuamente e partilhavam sentimentos e conhecimento. “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor. Mas chamei-vos amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai” (Jo 15,15).

Assim como Jesus, também nós precisamos e desejamos ter amizade. Como é bom rir com alguém, conversar sobre amenidades, dividir alegrias e dores, receber um abraço num momento de aflição. “O amigo ama em todo o tempo: na desgraça, ele se torna um irmão” (Pr 17,17).  

Nós não fomos criados para a solidão. São João Bosco sabiamente dizia sobre a amizade: “Deus nos colocou no mundo para os outros”. No entanto, entre Seus amigos, Cristo encontrou um que foi capaz de trair sua confiança. Infelizmente, dentro do nosso círculo de amizade não é muito difícil de encontrarmos pessoas assim. Saiba, então, o que fazer para investir de modo adequado nas suas relações e as  5 condições para cultivar a amizade saudável.

Valores similares aproximam os amigos

A amizade deve ser baseada no amor a Deus. Foi o próprio Jesus quem nos pediu para ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos (cf. Mc 12,30-31). Uma amizade verdadeira, portanto, é aquela que nos aproxima de Deus. Poderia, então, um cristão buscar amizade entre os que pregam contra Deus ou entre aqueles cujos valores morais se contradizem com os seus? Seria imprudente de nossa parte. Busque, portanto, a amizade daqueles que também possuem um coração voltado para Deus, pois eles te ajudarão a se manter no caminho para o céu.

Não significa, no entanto, que você só vai se relacionar com “iguais”, mas existe uma diferença entre amizade, coleguismo, e também as pessoas com as quais você se relaciona para ajudar, anunciar o evangelho. 

Respeito é condição primordial para a amizade verdadeira

Cada um de nós tem suas particularidades. Ainda que acreditemos no mesmo Deus, ainda que unidos pela mesma Igreja e que conservemos os mesmos valores, cada um possui características próprias. Respeitar o amigo como um ser único é uma condição necessária para alimentar a amizade verdadeira. Sobre o respeito, encontramos nas Sagradas Escrituras: “Amai-vos mu­tuamente com afeição terna e fraternal. Adiantai-vos em honrar uns aos outros.” (Rm 12,10). Numa amizade verdadeira, o amigo aceita o outro como ele é, apesar dos erros e defeitos.

Reciprocidade torna a amizade saudável

Reciprocidade é dar e receber. Para, de fato, haver a amizade essa condição deve ser mútua entre duas pessoas. Também os sentimentos de amor, carinho e respeito devem ser recíprocos. Ainda que devamos amar as pessoas de forma gratuita, sem esperar nada em troca, não faz sentido manter amizade com alguém que não tenha amor e respeito por você. A reciprocidade é apontada pela psicologia como uma norma indispensável para a convivência saudável. O apóstolo Pedro nos alerta: “tende todos um só coração e uma só alma, sentimentos de amor fraterno, de misericórdia, de humildade” (1Pe 3,8).

Honestidade é essencial

É por meio do diálogo que os amigos se conhecem melhor e se aproximam. Assim como é por meio das palavras que levamos consolo a um amigo. Mas neste ponto é preciso ter muita cautela. A sinceridade e a honestidade são elementos essenciais para nutrir uma amizade saudável. Numa situação de conflito, o amigo precisa ajudar o outro a descobrir a verdade por si mesmo, manifestando sua opinião verdadeira. Como sabemos, há diversas formas de dizer uma mesma coisa. Então, quando precisar dizer aquela verdade necessária, mas que causará dor, escolha bem as palavras e tenha compaixão por seu amigo. E quando for a tua vez de ouvir uma verdade dolorida, lembre-se que aquilo que o teu amigo te fala é para o teu bem. Já dizia o profeta: “Melhor é a correção manifesta do que uma amizade fingida” (Pr 27,5).

Amizade pressupõe união

A bíblia explica porque é bom que os amigos estejam unidos: “Se um vem a cair, o outro o levanta” (Ecle 4,10). Bons amigos apreciam a presença um do outro, mas aqui se trata de algo muito mais profundo: o bom amigo defende, partilha e ajuda; não abandona num momento difícil. Portanto, se o teu amigo precisa de ti, faz tudo o que estiver ao teu alcance. “Não abandones teu amigo” (Pr 27,10).

O Papa Bento XVI falou em uma de suas catequeses que a amizade “é uma das manifestações mais nobres do coração humano e tem em si algo de divino”. E santo Agostinho escreveu: “A amizade é tão verdadeira e tão vital, que nada mais santo e vantajoso pode-se desejar no mundo”. Então, escolha bem seus amigos e cuide deles com todo amor que você dedica ao próprio Deus!

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *